Semana especial O Bosque de Faias

Semana especial O Bosque de Faias


Sinopse:
 O bosque de faias: Joana é uma jovem francesa criada no seio de uma família pertencente à burguesia do século XIX. Ela luta pelo seu direito de liberdade; no entanto, em uma época em que os pais ditavam as regras e firmavam acordos nupciais unicamente baseados em dotes e interesses, ela precisará usar de toda a sua força e rebeldia para alcançar o que quer. 
Resenha: O bosque de faias é um romance que se passa na França em 1816.
Joana é uma jovem francesa do século XIX, criada no seio de uma família pertencente à burguesia. Seu pai, Frederico Hour, é proprietário de algumas terras da região, e embora a família viva confortavelmente, ele busca através do casamento das filhas, uma maior posição social.
No entanto, Joana, a sua filha mais velha, se recusa a aceitar qualquer casamento arranjado. Ela anseia por sua liberdade em escolher seu par e também sobre o momento em que isso irá ocorrer. Porém em uma época em que os pais ditavam as regras e firmavam acordos nupciais unicamente baseados em dotes e interesses, ela precisará usar de toda a sua força e rebeldia para alcançar o que quer. 
Vivendo sempre em conflito com a família e com a irmãs (que anseiam pelo casamento da irmã mais velha para que também possa chegar a vez delas), Joana vai constantemente até o bosque de faias, onde refugia-se para ler, pensar, ou simplesmente fugir daquela pressão em que vive na sua casa.
Certa tarde ela está muito nervosa após mais uma discussão com os pais e vai até o bosque. Quando está totalmente distraída em seus pensamentos, depara-se um misterioso jovem montado a cavalo que por ali faz passagem. O encontro entre os dois é marcado por um estranhamento mútuo, já que Joana faz questão de ser antipática e grosseira. Eles não se apresentam e o jovem vai embora, partindo com uma péssima impressão de Joana, embora muito encantado com a sua beleza e ousadia. 
Os dias correm e logo surge no vilarejo a notícia de que Phillip Motier, sobrinho e herdeiro da maior e mais rica propriedade da região, vai se mudar para o local. As famílias começam a receber um convite para um baile de boas-vindas que Phillip oferecerá em sua propriedade.
É nesse tempo que surge um mal-entendido, quando Alexandre, — que é amigo e cavaleiro de Phillip e que veio para a propriedade para organizar a chegada do novo dono da mansão — faz a entrega dos convites na casa da família Hour, e é prontamente confundido com Phillip Motier. Anastasia, mãe de Joana, julga que aquele moço em sua porta é o próprio Phillip e procura fazer com que ele volte até a sua casa para um jantar e conheça o seu esposo, Frederico Hour.
Alexandre tenta desfazer aquela situação, porém quando ele descobre que uma das filhas do senhor Hour, é a moça do bosque — a moça irritada que ele havia encontrado assim que chegou à vila —, surge nele uma grande curiosidade e interesse na jovem. Então Alexandre decide simplesmente não dizer nada e deixa que aquela confusão se prolongue.
Os meses passam e logo essa mentira toma grandes proporções. Alexandre apaixona-se por Joana e está quase fazendo o coração dela também pulsar mais forte por ele. No entanto, chega o dia em que o verdadeiro Phillip chega à propriedade e Alexandre se desespera frente a possibilidade de Joana não o perdoar quando souber quem ele é.
Assim que os pais de Joana descobrem a mentira, farão de tudo para casá-la com o jovem abastado, o verdadeiro herdeiro: Phillip. Se de um lado o coração de Joana clamará para que abandone o orgulho e dê uma segunda chance para o amor; por outro lado, a dúvida, pressão e as conveniências sociais a empurrarão cada vez mais para um casamento sem amor.
O bosque de faias é um romance forte, que além de contar uma linda história de amor, resgata uma época histórica e todas as questões sociais da burguesia francesa no século XIX.

 Curiosidades
  • O livro foi todo ambientado na França do século XIX, e se passa em sua maioria em um vilarejo criado pela autora. Há passagens em Paris também.
  •   O nome O bosque de faias surgiu quando a autora pesquisou sobre o clima e paisagens do interior da França e descobriu essa linda árvore de lindas folhas de coloração laranjada (outono) e que se reveste do branco da neve no inverno.
  •   A autora demorou um pouco mais de Nove meses para concluir o livro, foram 374 páginas de Word e 125 mil palavras. É o maior livro escrito pela autora até então e o que levou menos tempo para ser concluído.



CONHECENDO OS PERSONAGENS






A autora amanda foi muito gentil em responder uns perguntas para o blog veja!

1 Quando percebeu que o vosso destino era ser escritora?

Desde meus doze anos de idade que gosto muito de escrever. Comecei com pequenos poemas, depois contos, mas somente em 2013 que lancei meu primeiro livro e dali em diante percebi que era meu destino e maior desejo. Foi quando comecei a ser conhecida como escritora e fazer palestras e visitar escolas mostrando meu trabalho.

2 De onde vem os personagens?

Eles são construídos de acordo com a ideia do enredo. Não sei bem de onde vêm, mas parece que eles surgem do nada e me pedem para contar sua história.

3 De alguma forma se relacionam com alguém que conhecem?

Geralmente não, porém no livro Lágrimas de Outono sim, foi inspirado em uma história verdadeira e de alguém que conheço e gosto muito: minha avó materna. Os demais livros por enquanto não são relacionados a alguma pessoa conhecida. Tenho um projeto futuro para escrever mais um livro no mesmo gênero que Lágrimas de Outono, e também será inspirado em uma pessoa que conheci, mas esse é um projeto ainda para mais adiante.

4 Qual é seu livro e autor favorito? Guiam-se por eles na escrita dos vossos livros?

Hoje meu livro favorito é Orgulho e preconceito, de Jane Austen. Ele é uma grande referência desde que passei a escrever romances de época. Eu adoro livros desses gêneros.

5 Qual é a sensação de ir a uma loja e encontrar um livro vosso à venda?

Incrível. Tenho hoje apenas o Lágrimas de Outono disponível em livraria, mas é ótimo poder recomendar seu livro a alguém e ela poder encontrar em livrarias.

6 Já alguma vez se cruzaram com alguém a ver um livro vosso?

Apenas pessoas da família. Mas já soube de pessoas que eu não conheço e que estavam lendo meu livro e alguém conhecido me contou. Recebo também e-mails e mensagens de pessoas que leram e vieram me procurar para falar sobre o livro. Adoro isso!

7 Atualmente, cada vez é mais difícil publicar um livro, principalmente devido a motivos financeiros.Qual foi a vossa maior dificuldade na publicação.

Posso me considerar feliz e afortunada por sempre ter encontrado editoras parceiras que me deram todo o suporte para publicação com uma proposta maravilhosa. Minha maior dificuldade foi apenas no início, para lançar o primeiro livro através de uma lei de incentivo à cultura, tentei mais de uma vez, mas depois deu tudo certo.

 muito obrigada amanda pela parceria e carinho desta entrevista.






Um comentário:

Amanda Bonatti disse...

Amei muito seu post. Arrasou nas montagens, ficou tudo perfeito. Obrigada pela linda parceria
Beijos
Amanda Bonatti

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo