Resenha Apenas Um Garoto






Titulo: Apenas Um Garoto
Autor: Bill Konigsberg
Editora: Arqueiro
Ed. 1
Págs.: 256
Ano:2016

Sinopse:

Rafe saiu do armário aos 13 anos e nunca sofreu bullying. Mas está cansado de ser rotulado como o garoto gay, o porta-voz de uma causa.

Por isso ele decide entrar numa escola só para meninos em outro estado e manter sua orientação sexual em segredo: não com o objetivo de voltar para o armário e sim para nascer de novo, como uma folha em branco.

O plano funciona no início, e ele chega até a fazer parte do grupo dos atletas e do time de futebol. Mas as coisas se complicam quando ele percebe que está se apaixonando por um de seus novos amigos héteros.



Resenha: O livro Apenas Um Garoto foi feito para quebrar os tabus, os rótulos. Eu me identifiquei muito com o Rafe por ele querer quebrar ao padrões. Se pararmos para observar, todos nós somos rotulados por alguma coisa. Por exemplo: cor de cabelo, raça, sexualidade, beleza e etc.
É um livro que te prende, pois sempre acontece alguma coisa nova. Tem uma escrita muito boa, e a capa é maravilhosa.

Outra coisa que eu adorei no livro foi o Rafe escrevendo partes da sua história antes de ir para a Natick. Isso permitiu que o leitor conseguisse construir o Rafe atual e entendê-lo, além de que ele usou a escrita como uma ferramenta para conseguir entender os próprios sentimentos.

O livro tem um romance que foi pouco explorado, mas eu acredito que o autor não quis dar foco ao romance e sim a outras questões levantadas na história, como o egocentrismo do Rafe, o que me deixou um pouco triste, eu acredito que ambos podiam ter acontecido.

O livro vem nos dar um alerta quanto a isso e desperta duas perspectivas de uma mesma realidade, além de nos lembrar que errar é algo que continuamente estamos sujeitos a fazer.

Este foi o primeiro livro que li deste autor, e posso dizer que é um livro muito bom, mas em relação a temática LGBT ele deixa a desejar.
Avaliação: ✰✰✰✰✰
Boa Leitura!!!





Comentários